Surfando no Pilates

 
 Fernanda Marcondes, sufista e proprietária do Global Pilates Alto da Lapa

Fernanda Marcondes, sufista e proprietária do Global Pilates Alto da Lapa

O surfe ou surf (do inglês) não é apenas um esporte. É um estilo de vida. É acordar às 5h da manhã, com o sorriso no rosto e com toda a disposição do mundo. É chegar na praia, observar o mar, avaliar se tem condições para surfar. Se sim, ótimo. Se não, bora para outra praia à procura da onda perfeita!   

Quando encontramos o pico (local onde começa a quebrar onda e o melhor lugar para surfar), ficamos ali, por um tempo observando o mar e vendo onde está melhor para fazermos a cabeça (“pegar” as melhores ondas). Então, pegamos a nossa prancha, colocamos debaixo do braço e seguimos em direção ao mar, já mentalizando o melhor dia de surf e desejando “pegar” altas ondas (muitas e as melhores ondas). Importante: sempre pedindo licença para Iemanjá, rainha das águas e dos mares, com um sentimento enorme de gratidão por aquele momento.

Tenho que confessar que não há nada mais gratificante do que estar sentado em cima da prancha, desfrutando do nascer ou do pôr do sol, apreciando as tartarugas, que sempre aparecem para dar um “oi!”.

De repente, você olha para o horizonte e observa a série (sequência de ondas) vindo. Deita na prancha e começa a remar, remar e remar até que começa a sentir a prancha deslizando na água sozinha. Então, você fica em pé e apenas desfruta daqueles poucos segundo em cima da prancha, com o vento na cara, alegria na alma e adrenalina no coração. Uma sensação incrível! E difícil de descrever. Talvez, apenas surfando para entender. (rsrsrs)

Especialmente para as longas horas de remada, o surfista precisa estar bem condicionado, com uma musculatura resistente e com o famoso POWER HOUSE muito ativado. É importante esse condicionamento para evitar gerar uma sobrecarga mecânica, em consequência, dor na região lombar que é uma das maiores queixas dos surfistas.

Surf e dor não combinam. Aí que entra a minha outra paixão: o Pilates! :)

O método Pilates pode beneficiar os surfistas, tanto na melhora ou na prevenção da dor, como no desempenho do esporte radical.

Exercícios de equilíbrio, são sempre bem-vindos aos surfistas. Deve-se desafiar gradativamente, associando movimentos de mobilidade de coluna em todos os planos, principalmente, em rotação, ponto em que os surfistas usam bastante para manobras. 

O repertório dos exercícios de Pilates são bastante ricos em movimentos de extensões de coluna, o que favorece a postura do surfista em cima da prancha na hora da remada. Se ele não tiver mobilidade na coluna torácica, quem vai fazer todo movimento compensatório é a coluna lombar. E, se sobrecarregar a lombar não é coisa boa nem pra quem não faz esporte radical, imagine no surf.  

A prática do método Pilates vai beneficiar o surfista dos aspectos que ele mais precisa no esporte: estabilidade, mobilidade, flexibilidade, precisão do movimento na hora da manobra, resistência, força e equilíbrio. Ainda evita as lesões, com um POWER HOUSE sempre muito forte, e previne a famosa dor lombar. 

Bora surfar e pilatear!

Fernanda Marcondes é surfista, proprietária do Global Pilates Alto da Lapa e professora no estúdio Global Pilates Pinheiros.